Ferramenta de Pesquisa

 

Na tarde desta terça-feira, dia 5, Vereadores se reuniram com representantes da Companhia-Riograndense de Saneamento (Corsan) na sala da Presidência da Câmara de Vereadores. O motivo do encontro foram as constantes situações de falta de água na cidade, principalmente na Zona Norte. A reunião foi comandada pelo Presidente da casa, o Vereador Fernando Medeiros (PDT), e contou com a presença dos Vereadores Cristian Wasen (MDB), Jack Ritter (PSB), Nelson Martini (PTB), Deoclécio Mello (SD), Duda Keller (PRB), Marco Barbosa (PSB) e Paulinho da Farmácia (PDT).

Representando a Corsan estiveram presentes a Gerente da Unidade de Cachoeirinha, Eliane Pacheco e os engenheiros Luciano Dotte, responsável pelo abastecimento de água em Cachoeirinha, e Stephan Prates, chefe de Operações e Manutenção da Companhia. Além deles, dois moradores da Vista Alegre também participaram.

O Presidente Fernando Medeiros destacou que o objetivo principal do encontro era saber o que estava gerando tanta falta de água no Município, principalmente no que diz respeito a Zona Norte. “Recebemos relatos diários de falta de água e queremos dar uma satisfação do que vem ocorrendo a essas pessoas. Também é nosso objetivo entender o porquê que isso vem acontecendo e quais são os planos de ação que a Corsan realiza para evitar que essas situações permaneçam", disse o Presidente.

De acordo com Medeiros, a Câmara pretende agendar uma reunião com a Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs), principalmente para verificar a situação da cobrança de água nos dias em que teve desabastecimento. "Sabemos que quem determina a suspensão desta cobrança é a Agergs e por isso pretendemos nos reunir com eles nos próximos dias para, também, cobrar soluções. A população não pode pagar por um serviço que não é entregue".

Na reunião, foi definido que será montada uma comissão de Vereadores para acompanhar a situação da falta de água. Uma nova reunião, agendada para o dia 19 de fevereiro na Câmara, deverá contar também com representantes da Prefeitura.

De acordo com Eliane Pacheco, Gerente de Operações em Cachoeirinha, um dos problemas da falta de água no mês de janeiro foi o rompimento de uma adutora dentro da área da base aérea de Canoas, por funcionários do Exército. "Além disso, ainda estamos enfrentando as elevadas temperaturas, a sequência de três dias sem energia nas estações, e o aumento do consumo nas regiões mais elevadas, como os bairros Anair e Vista Alegre, que dependem de reserva para abastecimento”.

Eliane também destacou que, Após as obras efetuadas em 2018, nas quais foram investidos mais de R$ 6 milhões em substituição de bombeamento e implantação de nova adutora de água tratada, a Estação de Tratamento de Água de Cachoeirinha tem plenas condições de manter o abastecimento pleno em Cachoeirinha e parte de Gravataí mesmo no verão, quando existe o aumento excessivo de temperatura e consequente elevação no consumo. "Importante ressaltar que, no mês de dezembro do ano passado, que foi de muito calor, não tivemos registros de desabastecimento de água e também nenhuma interferência em nossas instalações".